Numa sociedade cada vez mais marcada pelo sedentarismo e pelas doenças intrínsecas ao mesmo, é fundamental o incentivo á pratica desportiva nos jovens para o combate a este tipo de problemas. Mas com este incentivo, por vezes, pais e dirigentes pressionam os jovens de forma exagerada, o que psicologicamente, pode levar ao abandono da prática desportiva por parte dos mesmos, uns pela pressão, outros pela desmotivação, são vários os motivos que podem levar ao abandono, este é mote para uma pesquisa e discussão sobre o que leva os jovens ao abandono.

Segundo Santos(2008) “o desporto valoriza socialmente o Homem, proporciona uma melhoria do seu auto-conceito, e a aprendizagem de uma modalidade desportiva constitui uma das mais significantes experiencias que o ser humano pode viver com o seu próprio corpo.”

Além da prática desportiva é também preponderante aos agentes desportivos preocuparem-se com o abando do mesmo.

“Num estudo sobre o abandono e as suas motivações realizado por Oliveira et al (2007) verificou-se que 42% dos individuos abandonavam a natação nos escalões mais jovens (juvenis), em júnior 33% e somente 8% em seniores(…) as motivações para esse abandono seriam os resultados negativos, falta de apoio, as lesões, a falta de conciliação dos estudos com o desporto, a rotina dos treinos e a falta de integração social.” Santos (2008)

Boulgakova (1990) citado por Santos(2008) verificou que as razões para o abandono desportivo seriam a falta de resultados desportivos ou a sua estagnação, o aparecimento de outro tipo de interesses, a mudança de treinadores.

Vasconcelos (2003) num estudo realizado em Portugal verificou que atletas de elite abandonavam o desporto, devido ao estilo de vida, ao cansaço do calendário desportivo e os maus resultados.

Santos (2008) conclui que pelos estudos “os possíveis factores de abandono precoce desportivo serão os treinos monótonos, os treinos demasiado agressivos, a estagnação de resultados (…) a envolvência dos pares e familiares (…) a saturação do ritmo desportivo e competitivo.”

Silva (2013) aponta de entre os factores de abandono desportivo as lesões.

Em suma na perspetiva do rendimento, o abandono deve-se então:

  • Aumento das cargas especializadas;
  • A grande rigidez e disciplina no treino;
  • A pressão das competições em idades baixas;
  • A saturação do treino;
  • A aversão à prática desportiva;
  • Os problemas escolares e familiares (Almeida e Monteiro, 2004).

Conclui-se por tanto que a pressão em volta da competição tem uma carga psicológica muito grande, é importante motivar os atletas de forma a segurá-los na modalidade para com à vontade poderem atingir os objectivos a que se propõem.

Assim note-se que a competição está intrínseca à pressão de resultados, mas deve ser sempre aplicada de forma cuidada e perspicaz para assim evitar o abandono.

Referencias:

http://www.efdeportes.com/efd127/o-abandono-precoce-do-desporto-pelos-jovens.htm

https://prezi.com/mvbvkabv9bh6/a-especializacao-precoce-e-a-exclusao-ou-abandono-precoces/

http://cptdg.blogs.sapo.pt/2043.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s